o nome deste blog era VIAJANDO PELO MUNDO, mas fiz tantas postagens sobre comidas e restaurantes que resolvi mudar o nome, se vc frequenta este blog , as informações sobre viagens esta no blog www.tambemqueroir.blogspot.com

o nome www.remacaroca.blogspot.com, surgiu entre amigos.........vamos fazer um blog sobre nossa futura viagem, ja que um mora no rio de janeiro, outro em recife, outro na italia e outra na irlanda ficou as iniciais, por idade, do mais velho ao mais jovem RE gina MA riza CA cau,ROsalvo CAmila.....
agora nao dá para mudar, ou melhor, eu nao sei fazer isso rsrsrsr.....................
Errar é humano. Vadiar é parisiense.

Victor Hugo

17 de jun de 2012

cerveja 'DEUS' em Paris


inda nao consegui escrever sobre os lugares maravilhosos que fui, totalmente fora do roteiro turistico.
eSSE TEXTO COPIEI DE UMA AMIGA QUE ESTAVA JUNTO, E JA POSTOU.....LU, PLAGIO, COPIA...

Mas a cerveja mais incrível, a mais especial que já tomei em toda a minha vida, foi a “Deus” (belga, graduação alcóolica de 11,5%!). Não sei se algum de vocês já teve a chance, primeiramente, de VER uma garrafa desta cerveja, que mais parece uma champanhe, linda.

Loja em Brugge que mais parecia um museu de cervejas
 “Deus”, escolhida a dedo entre milhares de cervejas diferentes, de todos os sabores e cores possíveis e imagináveis. Uma única garrafa (que tem 750ml) saiu a 17,80 euros. No Brasil ela custa entre R$ 160,00 e R$ 230,00, segundo matéria publicada na Folha de São Paulo em junho passado. Portanto, paguei uma pechincha por ela!

Cerveja belga Deus, inesquecível
O fato é que a comprei a pedido de Regina e Dudu, casal de amigos que encontraria, primeiramente na Champagne, e em seguida, em Paris, alguns dias depois. Dito e feito. Decidimos abri-la em Paris, no apartamento deles, durante uma fantástica degustação que fizemos de queijos franceses. Esperamos ela gelar bastante, tiramos a rolha (isto mesmo, rolha, ela não tem tampa igual às outras, é engarrafada exatamente igual a uma champanhe e faz o mesmo barulho quando a tiramos) e tomamos em taças “flute”. Que sensação incrível! A bebida era um misto de cerveja e champanhe, visual e gustativamente falando. Com o mesmo teor de álcool, borbulhas persistentes, sabor frutado, cor clara e cristalina. Era uma “cerveja-champanhe”. O máximo! E ficou ainda melhor acompanhada de um Camembert da Normandia, o melhor camembert produzido na França (um dos que recebe o selo AOC – Appellation d’origine contrôlée), e claro, uma baguete fresquinha, comprada e levada para a casa do Dudu conforme manda o figurino (francês): debaixo do braço, ou melhor, da axila, hahahahaha!!!!!

Camembert da Normandia

12 de jun de 2012

dia dos namorados

melhor não inventar, nem se aventurar sem reservas, a cidade fica um horror, o atendimento pessimo..........optei pelo bom e honesto ALFAIA.....liguei, reservei, o bacalhau estava otimo, atendimento idem.....
SEM GDES EMOÇOES, NEM DECEPÇÕES.

Um bom restaurante portugues, em Copacabana.

de uma conferida.

fotos


http://www.restaurantealfaia.com.br/pages/cardapio.htm#carne















IRAJA - li essa reportagem, e me animei.........fui e acabei no irajá (trocadilh antigo....lembram !!!!!!!

minha amiga e chef Luciana Hazin disse que queria conhecer, meu marido se animou, eu fui procurar informações e lá fomos ao Iraja......quem diria acabamos no iraja !!!!!!

atendimento, péssimo, os garçons não sabiam explicar nada, alias, não sabiam o que estavam servindo.
Não gostei dos sabores......, das tais inovações (não vi nenhuma.....)
nem ao menos me lembro do que comi, QUANDO COMO ALGO MARAVILHOSO, NAO ESQUEÇO JAMAIS !
Meu marido, argumentou a favor do restaurante, é novo - precisa de algum tempo para acertar - etc e tal, não me convenceu.
Minha amiga, uma lady, disse que estava bom, mas que precisava melhorar rsrsrsrsr.
Nosso amigo, enologo.....recebeu um file, sem comentarios. Alias, ele tbem educadissimo, nao fez comentarios, mas com certreza nao voltara, não indicara nem levarara os amigos.
Para finalizar, nota 3.
não vale um repeteco, tendo tantos restaurantes bons no rio, talvez um dia, quem sabe.......






Irajá gastrô, o restaurante retrô e contemporâneo ao mesmo tempo

Irajá gastrô, o restaurante retrô e contemporâneo ao mesmo tempo

A Rua Conde de Irajá, em Botafogo, está ampliando as opções para o carioca conhecer um novo pólo gastronômico na zona sul da cidade. Ipanema e Leblon estão saturados de boas opções de restaurantes e bares. Quem procura uma novidade pode rumar para Botafogo, é lá que está acontecendo algo novo na gastronomia carioca.
A mais recente aquisição da rua é o Irajá Gastro, o restaurante da empresária Bete Floris e do chef Pedro Artagão.  A casa é do começo do século XX e fica no numero 109. A bucólica rua agora é palco de experiências gastronômicas e sinônimo de bom atendimento e bom preço.
 O que levou a empresária Bete Floris, do setor editorial a abocanhar mais uma área para seu trabalho e investimento. “Eu adoro comer bem. Não cozinho, mas o prazer da boa comida eu persigo e meu marido Aldo Floris também. Somos companheiros nessa jornada atrás de bons restaurantes em viagens, aqui no Rio e temos escolhas gastronômicas parecidas”, conta Bete. O casal é fã de comida italiana e elegeu como seu restaurante favorito no mundo o incrível La Rosseta, em Roma, próximo ao Pantheon.
Bete conta que conheceu Pedro Artagão há muito tempo e que sempre conversa com ele após almoços e jantares no restaurante onde Pedro, era  chef o restaurante “Laguiole”, no Museu de Arte Moderna. “Tinha essa idéia de um dia ter um restaurante, e a idéia foi amadurecendo até que resolvemos enfrentar esse desafio”, conta Bete.
Local escolhido. Foram à luta do projeto de reforma da casa e escolheram o arquiteto Maurício Nóbrega, que fez o trabalho com o auxilio de Maneco Quinderé na iluminação e com o bom gosto dos sócios, o restaurante ficou um dos mais bonitos da cidade.  Uma simpática mistura de estilos, o contemporâneo com o retrô, tanto na decoração, como na cozinha que promete ser um dos melhores da cidade.
Assim também é o menu como explica Pedro Artagão. “Gosto de fazer a comida que gosto de comer, Faço releituras, minha cozinha é assim. Nada é o que parece ser, como uma salada caprese, que não é uma mera salda caprese e sim uma coisa diferente com os mesmo ingredientes. Uma canja é uma canja diferente”, assim Pedro Aragão revela um mundo novo e que cada prato remete a um mundo diferente.
Detalhes do Irajá Gastro. Uma sala gourmet para oito pessoas com uma mesa redonda debaixo de um maravilhoso lustre do designer alemão Ingo Maurer. A Pierre Jouët é uma das parceiras da casa então sempre tem uma maravilhosa borbulhante champagne no freezer. Um poste todo grafitado pelo artista plástico Guga Liuzzi. Um bolo quente de brigadeiro que simplesmente faz você esquecer que um dia você quis ser magra.
Do corredor do lado de fora do restaurante, você poder ver e sentir o s aromas maravilhosos que vem da cozinha. Como diz Pedro Artagão “A cozinha é doação e o retorno é a satisfação e o prazer no rosto de cada um” sinceramente correto


2 meses após ,

por insistência de alguns amigos que queriam conhecer, resolvemos voltar........contra minha vontade, claro !!!!!
pedi uma salada, comeria uma igual em qualquer outro lugar.....
Quem pediu um certo prato de carne de porco, se deu bem, disseram que estava maravilhoso, mas o file de alguem estava passado, etc....enfim.......sem comentarios.

novembro/2012

amigos de minas gerais, queriam conhecer o Irajá.....consegui convence-los a ir ao ÓRO, amaram, eu também!!